O trabalho invisível

Os CRAS (Centros de Referência da Assistência Social) são unidades de execução dos serviços de proteção social básica destinados à população em situação de vulnerabilidade social, em articulação com a rede socioassistencial e oferecem serviços e atividades para toda a família, como:

Cadastro Único, Atendimento Social, Convivência social e fortalecimento de vínculos familiares e comunitários, Qualificação profissional e demais serviços e projetos complementares.

 

Segundo SALMA MANCEBO CORREIA, coordenadora do Cras Santa Felicidade, “o atendimento ou acompanhamento coletivo no CRAS é um trabalho muito prazeroso, potencializados pela “força” do grupo. O grupo “é vivo”, tem a maravilhosa capacidade de criar algo novo, de trazer à tona o inusitado, de revelar o escondido. Seja no PAIF (Serviço de Atendimento e Proteção Integral à Família), seja no SCFV (Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos), seja em outro atendimento coletivo, o estar atento ao conteúdo trazido pelo próprio grupo é essencial. Além disso, existem também, o que podemos chamar de “efeito colateral”: a construção invisível que vai acontecendo. O CRAS preenche muitas vezes uma lacuna para as famílias, tonando-se um apoio, uma escuta, uma acolhida. Quantas “pontes” construídas nas relações, por meio do trabalho coletivo, particularizado, em uma instituição parceira ou no próprio espaço do CRAS. Pontes que permitem que as pessoas acessem direitos, construam novos projetos de vida, enfim, superem uma etapa e avancem em direção à outra, melhor.

Esta construção invisível muitas vezes não se expressa em números nem estatísticas mas está impressa irremediavelmente em muitas e muitas famílias atendidas diariamente nos CRAS.”