Paz sem voz é medo – sem educação não existe…

ASSISTA A REPORTAGEM: Guarda Municipal Mirim

Importante iniciativa  da GRPCOM com a nova campanha lançada este mês (leia abaixo) questionando a segurança em nosso estado. Vale ressaltar, é claro, que a base da NÃO VIOLÊNCIA  é a boa educação, familiar e escolar. Só educando as crianças evitamos que os adolescentes caiam nas drogas e na criminalidade.

Nesta campanha acontecerão 3 fases e  na etapa em que o GRPCOM pretende mostrar que a sociedade também pode ser mais participativa para construir uma sociedade de paz, espero que seja dada muita ênfase à questão da educação.

Pelo terceiro ano consecutivo, o Grupo Paranaense de Comunicação (GRPCOM), por meio de seus veículos Gazeta do Povo, Jornal de Londrina, Gazeta Maringá, RPC TV, ÓTV, Mundo Livre FM e 98FM, além do Instituto GRPCOM, lança uma campanha de mobilização e de conscientização da sociedade paranaense para temas relevantes que fazem parte do dia a dia da população. Depois da campanha “Trânsito. Respeito ou Morte você escolhe o caminho” (2009) e Voto Consciente (2010), neste ano o tema é segurança pública e o slogan é “Paz sem voz é medo”. Curitiba é a quarta capital do país com maior crescimento na taxa de homicídios entre 1998 e 2008 de acordo com dados do Mapa da Violência 2011. Seis cidades paranaenses estão no ranking das mais violentas do país, Campina Grande do Sul, Guaíra, Santa Terezinha de Itaipu, Piraquara, Guaratuba e Almirante Tamandaré. Ainda segundo a pesquisa, Curitiba ocupa o sexto lugar no ranking da violência nas capitais com 56,5 mortes a cada 100 mil habitantes, perdendo apenas para Maceió, Recife, Vitória, Salvador e João Pessoa. Além disso, apenas o Piauí e o Paraná não disponibilizam o serviço de Boletim de Ocorrência eletrônico no país. A campanha já está nas ruas do Paraná. Além de anúncios, filmes, spots e peças de internet, a iniciativa conta com forte presença nas redes sociais e a realização de blitze em eventos em todas as regiões do Estado.  Não se trata apenas de uma campanha publicitária. Como nos anos anteriores, haverá o envolvimento editorial com reportagens para mostrar como a violência está presente no cotidiano das pessoas e que segurança pública é tarefa de toda a sociedade.  Segundo Sandra Gonçalves, diretora de Redação da Gazeta do Povo, não pode trazer a sensação de insegurança maior do que ela realmente é. “Iremos mostrar o cenário de violência, mas também vamos propor caminhos e mostrar soluções adotadas por outras cidades para resolver o problema”, explica. “