Bullying & Autoestima

AutoestimaBullying é um termo utilizado para descrever atos de violência física ou psicológica, intencionais e repetidos, vem do inglês e nada mais é do que os famosos judiar e implicar, que fizeram parte da nossa infância. Desde sempre crianças implicam umas com as outras, colocam apelidos, brigam. Hoje em dia, a sociedade tem se mostrado muito mais preocupada com essa situação, entendendo o quanto prejudicial é para vida das vítimas.

Com toda certeza um dos fatores que leva ao Bullying é a baixa autoestima de algumas pessoas. Autoestima é a avaliação que a pessoa faz de si mesma e pode ser positiva ou negativa. É construída durante toda a vida, sendo os primeiros anos fundamentais, e a influência dos pais e de uma rede de relacionamentos positivos primordial. Na adolescência e vida adulta ter bons amigos, poder contar com eles e estar à disposição deles, bem com ser importante para outras pessoas fortalece o indivíduo.

No dia-a-dia, percebemos que alguns sentem mais as agressões verbais, outros nem ligam. Porquê? São insensíveis? Não. Sua autoestima é alta e protege-os contra determinadas agressões. E como, normalmente a agressão física é fruto da agressão verbal, quando a pessoa ignora os “xingamentos”, enfraquece o zombeteiro que acaba desistindo de caçoar.

Além de valorizar seu filho, indicando condutas adequadas, auxiliando nas dificuldades, mostrando-se confiante em sua potencialidades é preciso também preocupar-se em prepará-lo para que não seja autor desse tipo de comportamento negativo. Assim como não queremos ver nossos filhos sofrendo, não podemos permitir que façam os outros sofrerem. Afinal, o que mais buscamos nessa vida é viver em PAZ!

Elaine Esmanhotto Bareta

Psicopedagoga

 

4 pensamentos em “Bullying & Autoestima”

  1. Olá Elaine!
    Ao ler seu texto reforço ainda mais minha atitude como educadora que sou, trabalhar a identidade de nossas crianças , valorizar atitudes positivas .
    Esta é uma das maiores dificuldades que percebo nas famílias, que me parecem ter perdido o caminho para a busca da solidadriedade e humanização,
    Vamos em frente em dissiminando a paz e a alegria de viver em comunidade.
    Abraços Eliane Maria

  2. Isso mesmo. as crianças merecem e precisam de atenção, esses e outros problemas são resultado da ausência dos pais. Professores, vamos fazer a nossa parte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *